A relação espaço/tempo e a inserção econômica de uma associação de artesãos do interior de Minas Gerais

Autores

  • Camila Loricchio Veiga, Me. Universidade Federal de Itajubá - UNIFEI
  • Lígia Maria de Mendonça Chaves Incrocci, Me. Universidade Federal de Itajubá - UNIFEI
  • Adilson da Silva Mello, Dr. Universidade Federal de Itajubá - UNIFEI

Resumo

Este artigo parte das análises dos dados coletados em campo no Projeto intitulado “Design, Engenharia de Materiais e Tecnologias Sociais: Produção Artesã e Inclusão no Mercado”, fianciado pelo CNPq. Neste enfoque, propõe-se pensar a Associação Casa do Artesão Mariense de Maria da Fé/MG, a partir da relação espaço/tempo contemporânea. Traça-se a reflxão sobre como os 42 associados lidam com as questões trazidas pela racionalização, modernização e secularização. Como se organizam diante de um Estado regulador das tensões sociais e da dinâmica entre identidade local e global. Em cerca de um ano de inserção no campo, foram realizados acompanhamento diário das atividades da Associação, além de observação participante, registro das atividades em caderno de campo, entrevistas individuais e ofiinas coletivas. Com isso, pode-se observar que as artesãs seguem uma noção de espaço/tempo local, que não possuem uma visão de rede logo não se articulam de forma a conseguirem se inserir no mercado formal competitivo. Por outro lado, o distanciamento da égide da tecnologia e a aproximação com o meio ambiente se mostraram consequências da inversão da lógica proposta pela Associação.

Downloads

Publicado

2018-01-19

Edição

Seção

Artigos