Memórias do subsolo. A utopia da autorreflexão e da liberdade em Dostoiévski

Autores

  • Jonathan Florentino da Silva Universidade Federal de Minas Gerais
  • João Francisco Pereira Nunes Junqueira Centro Universitário Teresa D´Ávila

Resumo

Autor-filósofo e explorador da existência, Dostoiévski reafirma em Memórias do Subsolo paradoxos dos quais a humanidade ainda não se vê livre. O narrador-personagem nos leva a questionamentos acerca da verdade, remete-nos a um delírio de consciência através de sua abstinência de si mesmo como se olhasse para outro eu, leva-nos ao subsolo como se isso fosse matéria de sua pura liberdade e nos engana por sua frieza. Durante toda a obra existe seu conflito pela liberdade de existir no mundo. Se nos primeiros momentos temos um homem seguramente mau, isso vai se desmanchando e remontando, em um processo cíclico, até que sua liberdade é desfeita por força maior - sua (in)consciência. Temos, então, a utopia da autorreflexão e da liberdade.

Downloads

Publicado

2018-07-05

Edição

Seção

Artigos