Cidadania no Oeste do Pará e a atitude subserviente do povo brasileiro na Campanha da Globo de 2018 aos tempos de pandemia

Autores

Palavras-chave:

Cidadania, Semiótica, Pandemia

Resumo

Este artigo inspira-se no vídeo “an open letter to educators”, postado no Youtube como ponto de partida para reflexões em torno do conceito e prática da cidadania desde os primórdios aos tempos da pandemia do Corona vírus, por meio de pesquisa no Oeste do Pará desenvolvida por intermédio do Projeto Agenda Cidadã com professores de Letras e Pedagogia. A pesquisa, o ensino de línguas e a atitude de professores do PARFOR são postas sobre a mesa. Em termos metodológicos, parte-se de breve análise do vídeo “An Open Letter to Educators”, da cidadania na campanha institucional da Rede Globo, "O Brasil que eu Quero" (2018), e de sua atuação enquanto parte da indústria da informação em tempos de pandemia até chegarmos ao conceito de cidadania por parte de um grupo de 10 professores entrevistados. O objetivo é demonstrar que o exercício da cidadania por parte da maioria dos professores e do povo que ganhou voz na campanha de 2018 da Globo revela a subserviência ao invés de uma atitude, de fato, cidadã, na chamada daqueles que deveriam ser seus “representantes” como “governantes”. O instrumental teórico utilizado é a semiótica de Algirdas Julien Greimas e os estudos da linguagem.

Biografia do Autor

Valdenildo dos Santos, Universidade Federal de Mato Grosso do Sul

Professor Pós-Doutor em Languages and Cultures pela Purdue University, West Lafayette, Indiana, Estados Unidos (2016-2018), Doutor em Letras, Filologia e Linguística Portuguesa (Semiótica) pela UNESP, Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (2001), com bolsa Sanduíche CNPq de pesquisa na UNC, University of North Carolina, Chapel Hill, Estados Unidos, Mestre em Comunicação e Poéticas Visuais pela UNESP, Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (1996) e Bacharel em Letras, Inglês e Português pela USC, (1992). Professor associado II na Universidade Federal de Mato Grosso do Sul, Campus de Três Lagoas e  Líder do Grupo de Pesquisa em Ensino e Aprendizado de Línguas e Leituras Semiótica (GEALLES).

Downloads

Publicado

2022-01-02

Edição

Seção

Artigos