A centralidade das avaliações externas e do currículo nas políticas educacionais

Autores

Palavras-chave:

Avaliação em larga escala, Currículo Escolar, Base Nacional Comum Curricular

Resumo

 As configurações políticas na América Latina pós-1990 fazem parte de uma conjuntura global que interfere na condução das políticas educacionais em suas diferentes dimensões. O objetivo da pesquisa foi problematizar a centralidade das avaliações externas e do currículo nas políticas educacionais, tendo, como ponto de partida, a compreensão das interferências externas para a concretização de um modelo social, pautado na lógica do mercado. A metodologia esteve pautada em uma perspectiva crítico-reflexiva, por meio da abordagem qualitativa e das pesquisas bibliográfica e documental. As discussões apontaram que a centralidade das avaliações externas e do currículo no campo da política educacional dá-se mediante a tentativa de construir um modelo social que tenha, como defesa, a lógica do mercado, por meio de uma educação fragmentada, atendendo aos preceitos neoliberais.

Biografia do Autor

Givanildo Silva, Universidade Federal de Alagoas

Doutor em Educação. Professor do Centro de Educação e do Programa de Pós-graduação em Educação da Universidade Federal de Alagoas, campus A. C. Simões, Maceió-Alagoas. Integrante do grupo de pesquisa Gestão e Avaliação Educacional (GAE/UFAL/CNPq).

Inalda Maria dos Santos, Universidade Federal de Alagoas

Doutora em Educação. Professora do Centro de Educação e do Programa de Pós-graduação em Educação da Universidade Federal de Alagoas, campus A. C. Simões, Maceió-Alagoas. Líder do grupo de pesquisa Gestão e Avaliação Educacional (GAE/UFAL/CNPq).

Downloads

Publicado

2022-01-02

Edição

Seção

Artigos