Embates e debates: As cotas universitárias sob a ótica da mídia brasileira

Autores

Palavras-chave:

Cotas Universitárias, Ações Afirmativas, Mídia, Imprensa

Resumo

O presente estudo teve como objetivo analisar de que forma a mídia brasileira, por meio de diversos veículos e de diferentes posições editorais, atuou no debate sobre as cotas universitárias no Brasil. Para isso, realizou-se uma revisão de literatura, buscando trabalhos publicados na última década dedicados ao assunto. O levantamento bibliográfico retornou pesquisas que analisaram notícias dos seguintes veículos: Carta Capital; Correio do Povo; Folha de S. Paulo; O Dia; O Estado de São Paulo; O Globo; Veja; Zero Hora; e a página online do coletivo Balanta. Como resultado, verificou-se que a mídia atuou ativamente no debate sobre as cotas de forma engajada e opinativa. O tipo de mídia interferiu diretamente na posição editorial assumida por cada veículo. Enquanto a mídia tradicional preocupou-se em desmerecer e criticar a ação afirmativa, a mídia tida como alternativa mobilizou-se em prol da política e em defesa das ações de redução da desigualdade social no país.

Biografia do Autor

Elisa Fabris de Oliveira, UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO

Doutoranda e mestre em Psicologia pela Universidade Federal do Espírito Santo (Ufes) e bacharel em Comunicação Social com habilitação em Publicidade e Propaganda pela mesma instituição. É professora da Faculdade Municipal de Linhares -Faceli; membro do Núcleo de Estudos, Pesquisa e Intervenção com Crianças, Adolescentes e Famílias (Necriad/Ufes); e do laboratório Cultura, Representação e Imagem em Estudo (Crie/ Faceli).

Edinete Maria Rosa, Universidade Federal do Espírito Santo

Graduada em Psicologia pela Universidade Federal do Espírito Santo (Ufes), doutora em Psicologia pela Universidade de São Paulo. Pós‑doutorado pela Universidade da Carolina do Norte (EUA). Professora do Departamento de Psicologia Social e do Desenvolvimento e do Programa de Pós-Graduação em Psicologia da Ufes. Coordenadora do Núcleo de Estudos, Pesquisa e Intervenção com Crianças, Adolescentes e Famílias (Necriad/Ufes).

Mariana Bonomo, Universidade Federal do Espírito Santo

Doutora e Graduada em Psicologia pela Universidade Federal do Espírito Santo, com período de estágio doutoral na Università di Bologna/Italia. Atua como Docente permanente do Departamento de Psicologia Social e do Desenvolvimento e do Programa de Pós Graduação em Psicologia da Universidade Federal do Espírito Santo, onde orienta estudantes em Iniciação Científica, Mestrado, Doutorado e Pós-doutorado na linha de processos psicossociais. É Membro do GT da ANPEPP Memória, Identidade e Representações Sociais, Membro da Rede Latinoamericana de Psicologia Rural, Pesquisadora da Rede de Estudos e Pesquisas em Psicologia Social (RedePSO) da UFES e Professora colaboradora da Università di Bologna/Italia.

Downloads

Publicado

2022-01-02

Edição

Seção

Artigos