Reflexões sobre narrativas ambientais e seu potencial educativo

o documentário Oceanos de Plástico

Autores

Palavras-chave:

Narrativa ambiental, Educação dialógica, Educomunicação, Audiovisual, Oceanos de Plástico

Resumo

O cinema pode ser uma importante fonte de conhecimento e reflexão, assim, as narrativas ambientais, por meio da linguagem cinematográfica, podem possibilitar novos caminhos para aprendizagem ao oferecem elementos de significado. O presente artigo busca refletir sobre como o audiovisual pode favorecer nosso olhar acerca da problemática ambiental em que nos encontramos. Para tanto, optou-se pelo documentário Oceanos de Plástico (2016), o qual aborda o impacto devastador que o lixo plástico causa ao meio ambiente. Como aporte teórico, nos amparamos em Walter Benjamin (1987), sobre narrativa; Paulo Freire (1983), sobre educação dialógica; na esteira educomunicativa, Ismar de Oliveira Soares (2016, 2014); e para refletir sobre o fenômeno comunicacional, as contribuições de Ciro Marcondes Filho (2013) são fundamentais. O cuidado com o futuro da natureza e da humanidade brota da ética, que brota da educação. O saber da experiência na aprendizagem e a busca por possibilidades ou estratégias para sensibilizar frente às questões ambientais é indispensável e urgente.

Biografia do Autor

Gisele Gabriel, Universidade de Sorocaba

Doutoranda e Mestra em Comunicação e Cultura, Universidade de Sorocaba (Uniso).

Downloads

Publicado

2022-01-02

Edição

Seção

Artigos